Seja bem-vindo ao Jasmine Tookes Brasil, sua maior e melhor fonte brasileira sobre a Jasmine. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. Vale ressaltar que o Jasmine Tookes Brasil é um site feito por fãs que não é afiliado e/ou mantém contato de alguma forma com a Jasmine, amigos, agentes ou alguém relacionado à seus projetos. Esse site foi feito apenas para postar notícias para pessoas que como nós, admira seu trabalho. Não temos nenhuma intenção de lucro.
07.09

Neste domingo, 6, foi divulgado que a Jasmine Tookes é a nova cover girl da edição de primavera. Na entrevista para a revista a modelo fala sobre discriminação racial e contou sua própria experiência como uma modelo negra dentro da indústria da moda.

Confira a entrevista traduzida:

Cidadã modelo

Jasmine Tookes é uma supermodelo de boa-fé. Quando ela entra na sala, as cabeças se viram. Aos 29 anos, ela é uma veterana das passarelas que caminhou para todos, de Burberry a Prada, e fechou o desfile de moda da Victoria’s Secret em 2016 para um público global de mais de 800 milhões de pessoas. Tookes fala com ERIN COOK sobre o momento que deu a ela “mais nervosismo” que ela já teve, sua JoJa inspirada no fitness e por que ela está usando seu perfil para chamar a atenção para o movimento Black Lives Matter.

Pergunte a qualquer modelo de sucesso como ela ficou sob os holofotes e nove em cada dez vezes, você ouvirá a mesma resposta bem ensaiada: Eu simplesmente caí nessa. Mas para o anjo da Victoria’s Secret e supermodelo Jasmine Tookes, sua carreira de modelo foi mais do que apenas um acidente feliz. Esta glamurosa geneticamente abençoada voltou sua atenção para a indústria da moda e trabalhou seu caminho até o topo.

As sementes foram plantadas quando Tookes era apenas uma menina. Sua mãe, Cary Robinson, é uma estilista de moda baseada em LA (ela é discreta sobre sua lista de clientes, mas já trabalhou com Halle Berry e outras celebridades de alto perfil) com mais de 20 anos de experiência. Por proximidade, Tookes foi exposta a sessões de fotos e ao glamour do tapete vermelho antes mesmo de poder desfilar.

“Desde que me lembro, eu era obcecada em ser modelo. Costumava fazer desfiles de moda para minha mãe. Eu pegava todas as roupas dela, colocava e [fazia] um desfile de moda. Quando eu assistia ao desfile da Victoria’s Secret, eu fazia uma pausa e fazia parecer que era minha vez de descer na passarela. ”

Com os contatos de sua mãe e a altura e características naturais de Tookes, era apenas uma questão de tempo até que alguém a colocasse em seus livros. (Acha que ela é linda no filme? Confie em nós, pessoalmente, Tookes é um espetáculo para ser visto.) “Eu estava em um showroom com [minha mãe] enquanto ela puxava as roupas para um filme”, lembra Tookes. “Uma das senhoras que trabalhava lá disse: ‘Eu tenho uma amiga em Nova York – você tem que mandar Jasmine lá para ser modelo’”, oferecendo-se para colocá-las em contato. Compreensivelmente, Robinson tinha reservas sobre enviar sua filha de 16 anos através do país. Tookes terminou o ensino médio primeiro e se mudou para Nova York quando completou 18 anos.

Em 2015, o sonho de infância de Tookes se tornou realidade: ela foi nomeada uma das mais novas Anjos da Victoria’s Secret. Isso foi durante o auge da popularidade do programa. Apenas um ano depois, Tookes foi agraciada com a maior honra do VS: ela foi escolhida para usar o Fantasy Bra. Na história do programa, ela é apenas a terceira modelo negra a fazer isso. Globalmente, quase 800 milhões de pessoas assistiram Tookes fechar a passarela em Paris vestindo o Fantasy Bra de US$ 3 milhões criado pelo designer de joias Eddie Borgo. O design era tão opulento quanto parece e levou quase 700 horas para ser criado, com mais de 450 quilates de diamantes e esmeraldas, incrustados em ouro de 18 quilates.

Quatro anos depois, Tookes ainda está se beliscando. “Ser uma modelo da Victoria’s Secret é uma coisa, mas ser escolhida para usar o Fantasy Bra é enorme. Esse era meu objetivo número um – nunca pensei que fosse acontecer. Eu sou muito grata por ter tido a oportunidade de fazer isso.”

“Antes de entrar na passarela, acho que estava com o maior nervosismo que já tive na vida – mas tinha tantas garotas e amigos incríveis nos bastidores que estavam torcendo por mim. E eu realmente amei meu Fantasy Bra, então me senti muito confiante nele. A música estava tocando e [parecia] tão incrível e divertida. Depois de dar dois passos na pista, pensei, ok, vamos apenas aproveitar isso e não ficar muito nervosa. “

Claro, Victoria’s Secret tem suas controvérsias; o show foi cancelado em 2019 em meio à queda na audiência e nas vendas, junto com as críticas sobre a falta de diversidade de tamanhos nas passarelas. Em 2018, Ed Razek, diretor de marketing da L Brands, empresa controladora da Victoria’s Secret, foi forçado a se desculpar depois de dizer à Vogue US que a marca não convidaria modelos de tamanhos grandes ou normais para desfilar no desfile, como tentaram em 2000 e “ninguém tinha interesse”.

“Pessoalmente, nunca senti pressão para me ajustar a um determinado molde.”

Por muito tempo, as modelos da Victoria’s Secret foram colocadas em um pedestal por seus físicos tonificados e musculosos e níveis relativamente inexistentes de gordura corporal. Você não pode deixar de se perguntar: a pressão para existir dentro dessa percepção estreita de beleza afetou a mente de Tookes?

“Pessoalmente, nunca senti pressão para me encaixar em um determinado molde”, diz ela, refletindo. “[Embora] eu sempre tenha desejado sentir e estar no meu melhor absoluto na passarela.”

“Eu praticava muitos esportes quando era mais jovem, então sempre tive uma constituição musculosa e em forma. [Geneticamente], sempre fui um pouco mais para o lado mais magro. Então, para mim, treinar para o show foi sobre colocar músculos para fazer minha bunda parecer boa [ou adicionar] quadris e curvas. A pressão que senti foi para ter uma forma mais feminina na passarela.”

Ficar em forma e se sentir bem é um assunto próximo ao coração da supermodelo. Em 2016, ela lançou a plataforma de fitness JoJa com a melhor amiga e colega da Victoria’s Secret Angel Josephine Skriver. Acessível via Instagram e YouTube, JoJa – um jogo de palavras com os primeiros nomes das modelos – é um lugar para treinos gratuitos e dicas de nutrição. (Considere este seu aviso: os exercícios não são para os fracos de coração.)

JoJa começou com uma única postagem. “Josephine e eu estávamos no set de filmagem para Victoria’s Secret Sport e um dia pensamos, vamos fazer uma pose de ioga legal juntos, segurando o corpo um do outro.” A imagem recebeu muitas curtidas. O post e sua popularidade fizeram a dupla pensar: os dois amam fitness, então por que não começar um projeto pessoal juntas? O resto, como dizem, é história: “Decolou!”

“Muitas mulheres desprezam o treinamento com pesos ou pensam que isso vai deixá-las mais fortes. Temos tentado mudar a narrativa e dizer, você pode tornar o levantamento de peso divertido… e você pode tornar o treino divertido. ”

“Ao longo dos anos, temos viajado pelo mundo juntas, fazendo exercícios juntas e estimulando uma a outra todos os dias. Queremos inspirar outras meninas a estimular umas às outras, dar uma caminhada ou nadar, ser ativas e fazer isso juntas. É muito mais emocionante do que acordar de manhã e fazer isso sozinha.”

Não é de admirar que JoJa foi um sucesso; na última contagem, a modelo tem quatro milhões de seguidores no Instagram. Tookes sabe que está em posição de influenciar e usa o poder da mídia social para falar sobre outras questões importantes para ela, incluindo o movimento Black Lives Matter. No final de maio de 2020, milhões de pessoas foram às ruas, tanto nos Estados Unidos como em todo o mundo, para protestar contra a trágica morte de George Floyd nas mãos da polícia de Minneapolis. Tookes conta que experimentou o racismo tanto na vida pessoal quanto profissional: “Lembro-me de quando era modelo para desfiles de moda há 10 anos, seria a única negra na passarela. Seria eu ou a outra garota, nunca poderia haver duas de nós. “

“Nunca falei sobre isso porque não me sentia confortável em falar sobre isso. Mas agora, sinto que é muito importante. Sinto-me abençoada por ser capaz de falar e usar minha plataforma. As pessoas precisam entender que trabalhar com negros não é uma tendência; precisa se tornar uma realidade. ”

Tookes não está sozinha em suas experiências. Em junho, a também supermodelo e mulher negra Joan Smalls também expressou a necessidade de uma mudança de longo prazo no que diz respeito à diversidade na indústria da moda. Em um vídeo que já foi visto quase 1,5 milhão de vezes, Smalls compartilhou que ela teve que “lutar com unhas e dentes” para convencer as revistas de que ela era digna de um longa-metragem solo. “Eu via meus contemporâneos conseguindo esses empregos a torto e a direito, mas nas poucas vezes que consegui, foi uma batalha”, disse Smalls sobre seus primeiros dias. Em 2016, Naomi Campbell compartilhou uma mensagem semelhante em sua autobiografia, Naomi Campbell: “Assistindo a audições e atuando em uma idade precoce, eu entendi o que significa ser negro. Você teve que colocar um esforço extra. Você tinha que ser duas vezes melhor.”

Para Tookes, “a única coisa que sempre me impulsionou é que eu sei que muitas garotas do meu tom de pele me admiram”. “Eu recebo DMs todos os dias dessas meninas e isso parte meu coração.”

Essas meninas vão dizer: “ não me sinto confortável na minha pele, como você faz isso? Ou como você se sente bonita? Eu preciso continuar colocando meu melhor pé à frente e mantendo minha cabeça erguida para que elas e até as mulheres mais velhas saibam que você pode alcançar qualquer coisa que quiser.”

No que agora é conhecido como Blackout Tuesday, milhões de contas – incluindo várias marcas de moda e beleza – postaram um quadrado preto no Instagram em apoio público ao Black Lives Matter. “Eu realmente espero que essas marcas entendam que não é uma tendência. [Precisamos olhar] não apenas os rostos das campanhas, mas também as pessoas que trabalham na empresa. Acho que a melhor maneira que as marcas podem fazer é começar do início. Quem você está contratando? Isso é muito importante. ”

Esta foto da capa do Gritty Pretty aconteceu na cidade natal de Tookes, Los Angeles, em agosto, cerca de dois meses após o Blackout Tuesday e os protestos globais do Black Lives Matter. De pé alto e forte, Tookes é escultural. À medida que estátuas de soldados e generais confederados são demolidas nos Estados Unidos, a modelo representa um novo padrão de beleza: um que é inclusivo, diversificado e onde as mulheres de cor não precisam trabalhar mais do que suas contrapartes por um assento à mesa ou a capa de uma revista.

Nos últimos 10 anos, a carreira de modelo de Tookes a levou a cantos de longo alcance do globo. No entanto, COVID-19 aterrou estas viagens por muito mais tempo do que ela costumava fazer. Ela está abraçando a mudança: “É bom mudar de marcha e nem sempre ter que pegar meu passaporte e fazer uma mala.” É dado a ela tempo para “se concentrar em coisas diferentes e JoJa e todas as coisas que quero fazer na minha vida” .

Apesar de ela ser uma veterana da indústria, vamos manter nossos olhos firmemente fixados em Tookes por muitos anos. Se há uma coisa que sabemos com certeza, é que esta estrela em ascensão (e ascensão e ascensão) está apenas começando.

Visite a nossa galeria e confira as fotos da Jasmine para Gritty Pretty Magazine:

Tradução: Jasmine Tookes Brasil | Fonte: Gritty Pretty Magazine

© 2020 Jasmine Tookes Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D